São Cristóvão

Seu nome era Relicto, por ser de coração maldoso recebeu o apelido de Kynokéfale (malvado). Filho primogênito de um rei caldeu, era um guerreiro forte e temido, seu grande sonho era servir ao rei mais poderoso do mundo. Chegou a servir ao imperador romano, inclusive na perseguição aos cristãos. 
Com o passar do tempo observou que a cruz, símbolo dos cristãos, era um objeto de que os poderosos e privilegiados na sociedade fugiam, por sentirem que ela não combinava com seus interesses e estilo de vida. "Ora, se os poderosos fogem da cruz, logo ela tem mais poder que eles"- pensou. Isso fez com que Cristóvão saísse à procura do rei em cujo escudo figurasse o símbolo da cruz. No seu pensamento, só seria de fato poderoso quem não fugisse da cruz. 
Na procura desesperada desse tal rei, enquanto descansava à beira de um rio, acabou se encontrando com um velho eremita cristão que ali morava. No diálogo, Cristóvão contou a ele suas intenções e o motivo da procura. O velho, fazendo brilhar-lhe os olhos de esperança, afirmou que conhecia o rei que Cristóvão procurava. 
Enquanto conversavam, chegou uma caravana para atravessar para o outro lado do rio. Mas não havia ponte, a travessia era perigosa, o eremita sugeriu a Cristóvão que com sua força e ajudasse àquelas pessoas levando-as nos ombros. Cristóvão, estranhando de início, acabou acatando a sugestão atravessando uma por uma as pessoas. Assim que terminou a tarefa, uma criança apareceu na outra margem acenando que queria ser também ajudada. 
Sem perda de tempo Cristóvão ajeitou a criança nos ombros iniciando a travessia. Ela, na sua simplicidade, expressando toda a alegria de ser ajudada, teceu inúmeros elogios a Cristóvão, despertando nele imensa satisfação em estar praticando tal ato, amolecendo seu coração. 
As coisas começam a mudar, de homem mau, prepotente, cheio de vaidade e orgulho, se vê de repente a serviço de uma simples criança. Foi a gota d’água para sua conversão, o verdadeiro e tão procurado sentido para sua vida. 
Voltando a falar com o velho eremita, concluiu que naquela criança estava de fato o rei mais poderoso do mundo, que era Jesus, levando-o a se converter imediatamente ao cristianismo. 
Sabendo da conversão, Décio, imperador romano, o perseguiu. E, não encontrando sucesso ante a resistência de Cristóvão em negar a fé crista, ordenou que ele fosse flagelado e morto, decapitado. Era o ano 250 d.C.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.